Coimbra

Coimbra das canções
Coimbra que nos põe
Os nossos corações, à luz
Coimbra dos doutores
P’ra nós os seus cantores
A fonte dos amores és tu.

 

Amália Rodrigues

 

Uma viagem ao coração de Portugal… Coimbra tem em si as raízes da saudade de doutores e seus amores. É casa de estudantes, dos filhos que partem para uma nova cidade para começarem a construir a sua nova vida.

À volta do Rio Mondego, as ruas estreitas, as construções medievais, o património histórico único, a paisagem verde e a modernidade cruzam-se em harmonia. A música de fundo é de tunas académicas que dão vida aos dias e às noites.

MOSTRAR MAIS ↓

 O município de Coimbra foi criado em 1805. Nessa altura, Coimbra era já considerada a cidade portuguesa mais importante abaixo do Rio Douro. É em Coimbra que nasce o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, e mais cinco reis da primeira dinastia.

Em meados do séc. XVI, a história de Coimbra começa a desenrolar-se em torno da Universidade de Coimbra, a primeira universidade em Portugal e uma das mais antigas da Europa.

Com a Universidade, começam a surgir movimentos de estudantes de cariz político, social e cultural. O mais antigo é o Orfeon Académico de Coimbra que nasceu em 1880, continua em funcionamento e levou o Fado de Coimbra a todo o mundo.

Coimbra tem cerca de 143.000 habitantes, ocupa uma área de 319,4 km2. É capital de distrito e engloba 17 concelhos: Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares.

O que fazer

A cidade de Coimbra vive nas margens do Rio Mondego, por isso o passeio começa à beira-rio. As pontes têm grande relevância para a organização da cidade. A Ponte Pedro e Inês, uma alusão à história de amor proibida entre Dom Pedro, filho do Rei D. Afonso V (séc. XIV), e Inês de Castro, foi inaugurada em 2006 e é considerada um ícone da arquitetura, graças ao seu arrojo. As suas dimensões são de 275 metros de comprimento por quatro de largura e a meio tem uma praça com uma largura de oito metros. A outra ponte de Coimbra, a Ponte Rainha Santa Isabel foi inaugurada em 2004.

À volta, a paisagem recheia-se de monumentos, igrejas, mosteiros, jardins, parques e reservas naturais acessíveis por toda na cidade.

A Universidade de Coimbra é a referência de excelência da cidade, é a primeira Universidade de Portugal e uma das mais antigas da Europa. Foi fundada em 1290 em Lisboa por D. Dinis e transferida para Coimbra em 1537, ocupando os edifícios do Paço Real Medieval.

Uma das mais ricas bibliotecas da Europa – a Biblioteca Joanina – está precisamente na Universidade de Coimbra. O nome foi-lhe atribuído em homenagem ao Rei D. João V, um dos grandes impulsionadores da sua construção. Foi construída entre 1717 e 1728 e é um dos expoentes do estilo barroco português. Ao logo de três pisos, é possível deslumbrar-se com a decoração da época e um acervo com mais de 40.000 volumes. Os primeiros livros chegaram pouco depois do ano de 1750.

 

Dentro do Campus da Universidade de Coimbra, junto ao Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia, está o Jardim Botânico de Coimbra. Nasce em 1772 na sequência da reforma pombalina, como parte integrante do “Museu de História Natural” instaurado por Marquês de Pombal. Tem uma área de 13,5 hectares junto ao Aqueduto de S. Sebastião na freguesia de Almedina. O aqueduto, outro dos locais a visitar em Coimbra, é uma obra do final do século XVI. Acredita-se que foi feito o aproveitamento do que restava de um anterior aqueduto do período romano.

 

Coimbra é riquíssima em espaços verdes. A Mata Nacional do Choupal é um dos locais de eleição para desporto e lazer. As espécies vegetais dominantes são o choupo, o plátano, a nogueira-preta e o cedro dos pântanos. Destaque-se também a Mata Nacional de Vale de Canas, designada por Mata do Rei no séc. XVI, que pertencia à Coroa Real Portuguesa. Igualmente uma referência é a Reserva Natural do Paúl de Arzila que é casa de uma população diversificada de aves. Os Jardins da Quinta das Lágrimas sugerem um retrato da tragédia do romance adúltero de Pedro e Inês. Em 2004 é inaugurado o Parque Verde do Mondego que abrange as duas margens do rio.

 

Outros espaços verdes a visitar são: Jardim da Casa do Sal, Jardim Sá da Bandeira, Jardim da Manga, Lapa dos Esteios, Penedo da Meditação, Parque Linear do Vale das Flores, Parque de Santa Cruz e Parque Manuel Braga.

 

A Torre de Almedina, remonta ao séc. XI e foi construída sobre o Arco de Almedina, a porta principal da muralha medieval. Está aqui instalado o Núcleo da Cidade Muralhada e Centro Interpretativo, onde é possível conhecer a história da muralha e de Coimbra na Idade Média.

 

Também na freguesia de Almedina, encontra-se a majestosa Sé Velha, outro ponto de referência da cidade. O templo românico é da segunda metade do séc. XII, foi aberto em 1184 e é um projeto do francês Mestre Roberto. A igreja tem um exterior robusto, simétrico, com algumas aberturas e coroamento de ameias. No Largo da Freira, próximo da Universidade de Coimbra, está a Sé Nova, também conhecida como Colégio das Onze Mil Virgens. Pertenceu ao colégio da Companhia de Jesus até à sua expulsão de Portugal em 1759. Passados 161 anos começaram as obras e a Igreja foi tornada sagrada em 1640. É interessante observar a fachada que se divide em duas fases distintas de conceção e construção. Ali bem perto, o miradouro do Penedo da Saudade alberga placas comemorativas de eventos relacionados com a vida académica e poemas dos alunos. Próximo deste parque está o Carmelo de Santa Teresa, um convento construído para as irmãs carmelitas no séc. XVII, onde a irmã Lúcia, uma de três irmãos que assistiram à aparição de Fátima, faleceu em 2005. Num edifício anexo a este convento foi precisamente criado o Memorial da Irmã Lúcia que retrata alguns momentos da sua vida.

 

O Mosteiro de Santa Clara-a- Nova é um edifício barroco que foi iniciado em 1649 e veio substituir o primitivo cenóbio das monjas clarissas que o leito do rio Mondego tinha arruinado. Na sua igreja, guarda-se a urna de prata e cristal do séc. XVII, onde é venerado o corpo da Rainha Santa Isabel, a padroeira da cidade de Coimbra. O seu túmulo primitivo em pedra foi feito em 1330 e encontra-se no coro baixo da igreja.

 

Fundado em 1283 por D. Mor Dias, o Mosteiro de Santa Clara de Coimbra foi entregue às freiras clarissas pouco depois. O Mosteiro cedo foi vítima de inundações pelo rio Mondego e foram necessárias adaptações arquitetónicas. Em 1677 as freiras mudaram-se para um novo edifício, construído num lugar mais elevado, passando o primitivo a ser chamado Mosteiro de Santa Clara-a-Velha.

 

O Mosteiro de Celas, fundado em 1213 por Dona Sancha, filha do segundo rei de Portugal, é outro local a visitar. Apesar de terem sido feitas obras de restauro, entre os séculos XVI e XVIII, que alteraram o seu traçado original, a igreja manteve-se de forma circular.

 

O Palácio de Sub-Ripas destaca-se pelo seu estilo manuelino da primeira metade do séc. XVI. É composto por duas casas, a “Casa de Cima” ou Casa do Arco e a “Casa de Baixo” ou Casa da Torre.

 

Coimbra conta com um vasto património religioso com muitas Igrejas de interesse a visitar: Igreja de Santa Cruz – Panteão Nacional, Igreja da Nossa Senhora do Carmo, Igreja de Santa Justa, Igreja de Santo António dos Olivais, Igreja de São Bartolomeu, Igreja de São Tiago, Igreja do Colégio da Graça, Igreja do Colégio de São Pedro e Igreja do Salvador.

 

A cidade de Coimbra é literalmente a casa de vários museus onde a história, a tradição e a cultura portuguesas são as estrelas. Aqui pode visitar o Museu Nacional Machado de Castro, uma referência museológica a nível nacional. São cinco pisos com milhares de peças de escultura, pintura, cerâmica, ourivesaria e têxteis. Algumas das peças expostas têm dois mil anos. Conta ainda com 120 obras que pertencem ao Tesouro Nacional.

 

A Casa-Museu Bissaya Barreto junta no mesmo espaço uma coleção de azulejos nacionais, porcelanas da Companhia das Índias e pintura contemporânea de Portugal.

 

Miguel Torga, um dos grandes escritores portugueses do séc. XX, viveu em Coimbra e a sua casa foi transformada na Casa-Museu Miguel Torga. Aqui encontramos algumas das primeiras edições do autor e alguns dos seus objetos pessoais.

 

O Santo António, o santo casamenteiro português, têm em Coimbra o Centro de Estudos de Santo António que reúne coletâneas de imagens antigas e modernas, livros, medalhas, selos, azulejos entre outros objetos vindos da Europa, México, Índia, Macau e África relacionados com o Santo António.

 

O Museu Académico é outro ex-líbris da cidade. Os trajes académicos ao longo dos tempos têm aqui a sua montra e através de diversas fotografias é possível assistir à evolução da vida estudantil da Universidade de Coimbra.

 

Instalado na Torre do Anto está o Núcleo da Guitarra e do Fado de Coimbra com o objetivo de divulgar este estilo musical tão português que Coimbra cunhou de forma pessoal e coletiva.

 

Outros museus a visitar em Coimbra: Museu da Água, Museu da Ciência, Museu Nacional da Agricultura, Museu da Santa Casa da Misericórdia e Museu Municipal.

 

O conhecido Portugal dos Pequenitos, foi inaugurado a 8 de junho de 1940 e não é só um local turístico. É sobretudo um espaço pedagógico e lúdico. É o parque temático mais antigo do país e reproduz ao pormenor em escala reduzida a história e arquitetura de Portugal.

 

Coimbra conta ainda com outros locais de interesse, como é o caso do Convento de São Francisco, um espaço três em um: Centro de Boas-Vindas, Centro de Congressos e Centro Cultural. A merecer também a sua visita: Seminário Maior, Pátio da Inquisição, Colégio de Santo Agostinho, Colégio de São Tomás, Fonte Nova, Torre de Anto, Casa da Escrita, Pavilhão Centro de Portugal e Observatório Astronómico.

Festas e Romarias

 

O feriado de Coimbra celebra-se a 4 de junho em honra da sua padroeira Rainha Santa Isabel de Aragão, mulher de D. Dinis. A Rainha Santa morreu em 1325 e foi canonizada 300 anos depois. Nessa altura, os crentes povoaram as ruas em festa em honra da Rainha. Hoje, as celebrações acontecem de dois em dois anos, nos anos pares. As Festas de Coimbra e da Rainha Santa Isabel são um misto de religioso e profano. O ponto alto são as duas procissões religiosas, uma acontece durante o dia e outra à noite. Em ambas o andor com a imagem da Rainha Santa Isabel é carregado em ombros do Mosteiro de Santa-Clara-a-Velha para a Igreja do Mosteiro de Santa Cruz.

 

Maio e junho são por excelência meses de festa em Coimbra. Logo em maio realiza-se a tradicional Queima das Fitas dos estudantes de Coimbra, a maior festa académica do país e de toda a Europa. São 8 dias de finalistas, caloiros e de estudantes que ainda vão a meio do percurso. A Serenata Monumental na Sé Velha é o momento único que marca o início da Queima das Fitas. Do programa das festas fazem parte o Baile de Gala das Faculdades, a Garraiada, a Venda da Pasta, a “Queima” do Grelo, o Cortejo dos Quartanistas e as concorridas Noites do Parque.

 

Também em maio, a Romaria do Divino Espírito Santo festeja-se pela cidade.

 

O Parque Manuel Braga e Parque Verde do Mondego recebem em maio e junho a Feira Cultural de Coimbra. O objetivo é a promoção cultural de Coimbra, por isso o destaque vai para os livros e artesanato. Há ainda espaço para as artes plásticas, música, gastronomia e representações oficiais.

 

Ainda em junho o largo da Sé Velha é tomado de assalto pela Feira Medieval de Coimbra. Diversos figurantes recriam a época vestidos a rigor. No prato, as iguarias medievais deliciam os visitantes.

 

Em julho, faz fogo e é a vez das tradicionais fogueiras em honra de S. João Batista.

 

Não é uma romaria, não é uma festa popular, não é uma celebração religiosa nem se realiza no verão, mas é uma festa de referência dos estudantes universitários em Coimbra, chama-se Festa das Latas ou Latada. É uma festa de receção aos novos alunos que acontece todos os anos em outubro.

Comer

 

Pedro & Inês

Este restaurante está enquadrado na Quinta das Lágrimas e oferece uma gastronomia de qualidade diferenciada: cozinha de fusão americana, do sul da Europa e do extremo Oriente. A sua esplanada tem vista privilegiada para o Jardim de Pedro e Inês.

Morada: Rua António Augusto Gonçalves 30, 3040-266 Santa Clara, Coimbra

Contacto: (+351) 239 802 380

 

Casas do Bragal

Nasceu numa pequena aldeia no distrito da Guarda e construiu o seu bom nome perdido por estradas de Portugal. Agora fica a montante da cidade de Coimbra, um espaço térreo tranquilo com estacionamento privado e árvores em seu redor. A ementa começa com “coisinhas boas” e continua fiel ao seus sabores típicos portugueses, de forma arrojada e com um toque de autor.

Morada: Rua Damião de Gois – Urb. Tamonte, 3030-153 Coimbra

Contacto: (+351) 918 103 988

 

Arcadas

A mesa deste restaurante estão os mais frescos produtos locais que se reúnem no prato de forma tradicional e contemporânea. Situa-se numa quinta e as plantas e ervas aromáticas que usam são ali produzidas de forma biológica.

Morada: Rua António Augusto Gonçalves, 3041-901 Santa Clara, Coimbra

Contacto: (+351) 239 802 380

 

O Verde Moinho

Está localizado em Casal do Lobo, perto da Mata Nacional de Vale de Canas, num dos mais encantadores recantos de Coimbra. Tem uma decoração discreta, a sua especialidade é a cozinha italiana, mas inclui outros pratos da cozinha nacional e internacional.

Morada: Rua dos Moinhos 1, 3030-195 Coimbra

Contacto: (+351) 239 718 163

 

A Taberna

Um restaurante tradicional português com mais de 30 anos de existência. O forno a lenha é uma referência do espaço. Conta no seu menu com pratos típicos como o cabrito assado, a posta mirandesa e o bacalhau com batatas a murro.

Morada: Rua Combatentes da Grande Guerra 86, 3030-181, Coimbra

Contacto: (+351) 239 716 265

 

República da Saudade

A carta de vinhos é um must deste espaço de interior acolhedor. As fotos expostas lembram a história e homenageiam grandes ídolos ou não fosse a República da Saudade, o sentimento português de excelência. Os pratos a provar são o Polvo Panado, o Entrecosto em Vinha d’Alhos, a Espetada, o Leitão Assado à Bairrada, o Naco de Alcatra ou as lascas de bacalhau.
Morada: Quinta da Ribeira, n.º 1, Coselhas, 3000-125 Coimbra

Contacto: (+351) 934 309 775

 

Compostu Tavern

Descontração, produtos caseiros e de qualidade e petiscos são a fotografia deste espaço ideal para um convívio entre amigos. Abriu em 2012 no Alto dos Olivais em Coimbra.

Morada: Rua Capitão Luís Gonzaga 27, 3000-095 Coimbra

Contacto: (+351) 239 703 89

 

Solar do Bacalhau

O bacalhau e o forno a lenha são as estrelas deste espaço. Desta união nascem pratos como Bacalhau no Forno em Crosta de Alheira ou Bacalhau no Pão. O restaurante tem aproximadamente 1.000 m2 e tem uma decoração alusiva á cidade de Coimbra.

Morada: Rua da Sota 12, 3000-392 Coimbra

Contacto: (+351) 239 098 990

 

Tapas Marques

A partir das oito da noite esta pastelaria transforma-se numa petiscaria. A lista é variada e de fazer água na boca, desde as Entradas à Marques, às Amêijoas à Bulhão Pato, passando pela Alheira com Ovos Mexidos e os Cogumelos Salteados.

Morada: Avenida Sá da Bandeira 17, 3000-351 Coimbra

Contacto: (+351) 239 826 226

 

A Estrela da Mó

Um restaurante sossegado que abriu em maio de 2008 e é já um marco da gastronomia de Coimbra. É um dos mais tradicionais restaurantes de Vila Nova de Poiares. As especialidades são o Frango à Armandito, o Naco na Telha, o Bacalhau na Broa e a típica Chanfana.

Morada: Estrada Nacional 17, 3350-211 São Miguel de Poiares

Contacto: (+351) 239 428 374

 

Casa Velha – Lousã

Deve o nome à sua primeira casa – a Casa Velha – que agora abriga a Rádio Local. Este restaurante de cozinha tradicional portuguesa tem duas salas acolhedoras e um espaço amplo com uma cozinha a sério aberta à vista de todos. É uma referência da Lousã e de Coimbra.

Morada: Praça Francisco Sá Carneiro Lote 14, 3200-275 Lousã

Contacto: (+351) 239 991 555

Onde Ficar

 

Hotel Quinta das Lágrimas 5*

Neste palácio medieval histórico, a pouco mais de 800 metros do centro, os hóspedes podem desfrutar de uma vista privilegiada da cidade de Coimbra. Existem três tipologias de quartos: os Quartos Palácio onde já esteve hospedado o Duque de Wellington, os Quartos Jardim com vista para o Jardim Botânico e os Quartos SPA com uma banheira de hidroterapia. Tem dois restaurantes, um SPA de luxo, uma biblioteca com milhares de livros antigos, um driving range de golfe e um campo com nove buracos.

Morada: Rua António Augusto Gonçalves, 3041-901 Coimbra

Contacto: (+351) 239 802 380

 

Sapientia Boutique Hotel 4*

É o cruzamento da ousadia da arquitectura contemporânea com o respeito pelos traços do passado. Conjuga e deixa à vista pedras com memória, madeiras de outros tempos e o ferro e o betão da modernidade. O hotel possui 22 quartos, zona de restauração, sala polivalente, terraço e o pátio das Tias Camelas.

Morada: Largo Augusto Hilario 9, 3000-062 Coimbra, Portugal

Contacto: (+351) 239 151 803

 

Hotel Tivoli Coimbra 4*

Um hotel de cinco pisos moderno e funcional na Baixa da cidade. Dispõe de health club e piscina interior climatizada. O restaurante Tivoli Caffé conta com uma cozinha portuguesa e mediterrânica e o Conimbriga Bar, o bar do hotel, está aberto das dez da manhã à meia-noite.

Morada: Rua João Machado 4/5, 3000-226 Coimbra

Contacto: (+351) 239 858 300

 

Hotel Tryp Coimbra 4*

Encontra-se junto ao Hospital de Coimbra e bem perto do Centro Histórico. O Restaurante Baga com terraço e o Lobby Bar fazem as delícias dos hóspedes.

Morada: Rua João Machado 4/5, 3000-226 Coimbra

Contacto: (+351) 239 480 800

 

Vila Galé Coimbra 4*

O tema é a dança e os quartos estão decorados a rigor e em estilo contemporâneo. Está a 10 minutos do centro de Coimbra, tem vista para o Rio Mondego e um SPA acolhedor.

Morada: R. Abel Dias Urbano 20, 3000-001 Coimbra

Contacto: (+351) 239 240 000

 

Serenata Hostel Coimbra

Considerado Património Mundial pela UNESCO, no largo da Sé Velha, este espaço distingue-se pelos seus murais pintados à mão, pelas decorações únicas em mármore e a grande escadaria em madeira. Dispõe de acomodações temáticas que podem ser uma grande surpresa.

Morada: Largo Sé Velha 21/23, 3000-383 Coimbra

Contacto: (+351) 239 853 130

 

Casas da Alta de Coimbra

Charme e elegância são as palavras que melhor descrevem estas casas que se localizam num edifício renovado do início do séc. XX entre ruas estreitas, pátios e as escadarias da zona alta de Coimbra.

Morada: Rua Dr. António José de Almeida, 110, 3000-042 Coimbra

Contacto: (+351) 239 051 882

 

Coimbra Vintage Lofts Apartments 3*

Apartamentos inseridos num edifício do séc. XVIII, bem no centro da cidade. A decoração combina modernidade com um estilo vintage.

Morada: Rua Simão de Évora 5, 3000-386 Coimbra

Contacto: (+351) 964 326 556

 

Hotel Dona Inês 3*

Encontra-se a 10 minutos a pé do centro de Coimbra. Os quartos dispõem de todas as comodidades e o hotel conta com um centro de negócios, um campo de ténis e uma piscina exterior.

Morada: Rua Abel Dias Urbano 12, 3000-001 Coimbra

Contacto: (+351) 239 855 800

 

Hotel Vitória 2*

No centro da cidade histórica de Coimbra, encontra-se este hotel de duas estrelas. A Sé Velha de Coimbra e o Parque de Santa Cruz estão a menos de 15 minutos a pé.

Morada: Rua da Sota 9, 3000-392 Coimbra

Contacto: (+351) 239 824 049

 

NS Hostels & Suites 2*

Mesmo ao lado do Jardim da Sereia, no coração de Coimbra, temos este espaço de charme. Fica a 1 minuto a pé da Praça da República, um dos palcos das festas e reuniões académicas da cidade.

Morada: Rua Lourenço de Almeida Azevedo, 3/4, 3000-250 Coimbra

Contacto: (+351) 239 821 343

 

Pensão Santa Cruz

É uma excelente opção para quem procura alojamento no centro histórico de Coimbra. Alguns quartos têm varanda privada com vista para o Mosteiro de Santa Cruz.

Morada: Praça 8 de Maio 21, 3000-300 Coimbra

Contacto: (+351) 239 826 197

Sophia Residences

Pequenos apartamentos de luxo numa propriedade acolhedora com elementos característicos e uma atmosfera única fazem deste espaço o sítio ideal para relaxar. Tem todas as comodidades e uma localização central privilegiada.

Morada: Rua Sofia 23, 3000-390 Coimbra

Contacto: (+351) 966 782 350

 

BE Coimbra Hostels 1*

Este alojamento encontra-se no coração de Coimbra. Uma opção com excelente relação qualidade-preço para quem quer estar bem no centro da animação da cidade. As casas de Fado, cafés e restaurantes encontram-se a 5 minutos a pé.

Morada: Rua do Corvo 33, 3030-285 Coimbra

Contacto: (+351) 917 575 186

Casa Morais Turismo Rural 1*

Um alojamento local na aldeia rural de Fornos a 5km de Coimbra com quartos encantadores. Fica a menos de 10 minutos de carro de Portugal dos Pequenitos.

Morada: Rua da Capela, Fornos, 3025-198 Coimbra

Contacto: (+351) 967 636 029

Pousada da Juventude de Coimbra

É uma das opções mais acessíveis de alojamento para jovens. É exclusivo para quem tem Cartão de Alberguista ou Cartão Jovem que beneficia de um desconto de 15%.

Morada: Rua Dr. Henriques Seco 14, 3000-145 Coimbra

Contacto: (+351) 239 829 228

Parque Municipal de Campismo de Coimbra 5*

Tem uma área de 70.000 m2 e uma capacidade para 750 hóspedes.

Morada: Rua da Escola, Alto do Areeiro, 3030-011 Santo António dos Olivais, Coimbra

Contacto: (+351) 239 086 902

Gastronomia

 

À mesa, Coimbra destaca-se pelos doces. Graças aos seus conventos, a cidade é rica em doçaria. O doce mais célebre são as Arrufadas de Coimbra, há redondas e em forma de ferradura, são tradicionalmente enfeitadas com açúcar e estão particularmente ligadas à tradição da Páscoa.

 

Um dos doces conventuais portugueses mais conhecidos que é de Coimbra é o pastel de Santa Clara que chama assim graças ao Convento que lhe deu o nome. O Pudim de Ovos das Clarissas, outro doce conventual, é receita das freiras do Convento de Santa Clara de Coimbra à base de ovos, manteiga e açúcar. Outra das heranças do Convento de Santa Clara são os Biscoitos de Canela.

 

A Charcada à moda de Coimbra é um dos ícones da doçaria regional, uma delícia de origem conventual à base de ovos e calda de açúcar. As Queijadas de Coimbra são obra do Convento de Nossa Senhora da Natividade, em Tentúgal que tem os seus próprios e famosos Pastéis de Tentúgal

.

Muito apreciados são os Palermos Cobertos ou Nevadas. A receita é oriunda do Mosteiro do Lorvão em Penacova, convento que também é autor dos Pastéis de Lorvão e das Súplicas.

 

Quanto a pratos principais, embora a cidade de Coimbra não tenha um prato característico, nos restaurantes e tabernas podem degustar-se excelentes iguarias, petiscos e pratos típicos do centro do país como a é o caso da Chanfana que é um cozido de carne de cabra, do Leitão Assado à moda da Bairrada e do Arroz de Lampreia.

Artesanato

 

Coimbra é um dos mais antigos centros oleiros de Portugal, seguindo a tradição da cerâmica como uma das atividades artesanais mais relevante no país. No séc. XVII e XVIII, a faiança vidrada com cor tem um desenvolvimento extraordinário. Atualmente, ainda existem oficinas artesanais que se dedicam a esta arte da faiança vidrada. A principal característica da loiça de Coimbra é a textura da pasta macia e regular. As cores usadas são azul-cobalto, roxo, castanho, amarelo e verde. As peças mais típicas são as canecas de peixe, pratos, travessas, bilhas, potes e boiões.

 

Hoje, Coimbra continua a ser uma cidade de artesãos. Esta tradição de produzir com as mãos é visível na cidade durante vários momentos durante todo o ano. A Feira de Artesanato Urbano passeia-se pela baixa de Coimbra, nas ruas Ferreira Borges e Visconde da Luz, nos segundos sábados de cada mês, de março a dezembro.

 

Na Feira de Artesanato Urbano pode encontrar peças contemporâneas que resultam da junção artesanal de diferentes materiais, alguns deles reciclados. E há mais: bijuterias e outros acessórios de moda, peças de vestuário, artigos vintage, recriação de símbolos tradicionais portugueses, artigos em costura criativa, patchwork, tricot ou croché, o tradicional xaile, utilitários para o lar e peças decorativas.

Praias

 

O Vale do Rio Mondego domina a paisagem ocidental do distrito de Coimbra. A oriente o domínio é dos vales de dois dos seus afluentes, o rio Alva e o Rio Ceira. Todo o distrito está integrado na bacia hidrográfica do Rio Mondego, à exceção do litoral norte e da extremidade sudeste. No Mondego existe uma grande barragem, a Barragem da Aguieira que faz fronteira com o distrito de Viseu e outra bem mais pequena que é a Barragem da Raiva. A costa litoral é arenosa e baixa, menos no Cabo Mondego e para norte estendem-se dunas que vão até ao interior ao longo de vários quilómetros.

Coimbra combina a excelência da natureza do interior e do litoral. Oferece uma grande diversidade de experiências, desde os desportos aquáticos, às caminhadas e aos desportos de aventura. Tudo isto conjugado com o sossego da beira-rio ou da beira-mar.

 

Praia Fluvial Palheiros e Zorro: É também conhecida como Praia Fluvial de Torres do Mondego e está localizada em Torres do Mondego. É servida pelo Rio Mondego e foi criada em 1997. O caminho principal é pela povoação de Palheiros, na margem esquerda do rio. Na margem direita existe uma ponte pedonal que também dá acesso à praia. No areal encontra churrasqueiras e mesas de piquenique. Ali mesmo ao lado no bar pode petiscar a sua especialidade: os caracóis. Não há motivos para se aborrecer por aqui. Tem à escolha kayakes, canoas, pesca, caminhada, BTT e vólei de praia. Em época balnear, entre julho e setembro, o Festival Roque no Rio promove, no primeiro fim de semana de cada mês, concertos gratuitos e filmes ao ar livre.

 

Senhora da Piedade Fluvial Beach (Lousã): Tem vista para o Castelo da Lousã e para as Ermidas de Nossa Senhora da Piedade. É uma autêntica maravilha natural com as suas águas transparentes, o cheiro das árvores e os sons da natureza.

Esta praia fluvial está enquadrada num local de peregrinação religiosa. É vigiada e tem rampas de acesso para pessoas com mobilidade reduzida.

 

Praia das Rocas (Castanheira de Pera): É um complexo de animação e lazer. Situa-se no coração de Castanheira de Pera num lago com quase um quilómetro. Conta com uma ilha no centro da praia, a maior piscina de ondas de Portugal com 2100 m2, uma albufeira e uma ponte secular.

 

Praia Fluvial de Vimeiro (Penacova): Perto da foz do Rio Alva encontra-se esta praia de águas cristalinas rodeada por um cenário verdejante. A Praia Fluvial do Vimieiro é ideal para descontrair e relaxar. A marcar a paisagem, na encosta da praia estão algumas casas em xisto, um moinho de água e uma roda de rio.

 

Praia de Reconquinho (Penacova): Uma praia com bandeira azul junto ao Parque de Campismo de Penacova e está cercada por uma bela paisagem natural. No verão conta com uma fluvioteca – uma biblioteca fluvial – e um café-bar. Dispõe ainda de cais para barcos, parque infantil, campo de futebol e área para fazer piqueniques

 

Praia da Figueira e Praia de Buarcos (Figueira da Foz): São praias irmãs que se estendem lado a lado. A Praia da Figueira é conhecida sobretudo pelo seu extenso areal, pelos longos passadiços de madeira e pelo mar de perder de vista. Para os mais desportivos, a marginal oferece excelentes condições para andar a pé, de bicicleta ou de patins. Os bares e esplanadas da praia também estão abertos à noite para banhos de lua.

 

Praia do Cabedelo (Figueira da Foz): Situa-se muito perto da foz e tem uma vista privilegiada sobre a cidade da Figueira. As suas dunas são protegidas e conferem-lhe uma beleza ímpar.

 

Praia da Tocha (Cantanhede): Areal e vegetação de perder de vista. Parece quase uma praia selvagem. Ao longo da praia, as redes de pesca e os barcos dão-lhe um toque pitoresco e lembram aos visitantes que estamos em terra de pescadores e de bom peixe.

 

Praia de Mira: Areia branca e barraquinhas coloridas são a primeira fotografia desta praia bem no centro da Costa de Prata. A zona engloba mar, pinhal, lagoa e dunas. Um cenário de lazer bastante atrativo para quem procura mar e campo. A oferta do comércio de rua contrasta com o ambiente sossegado da lagoa que fica a aproximadamente duzentos metros da praia e onde se pode passear de gaivota.

 

Praia de Quiaios: Impera um extenso areal rodeado de vegetação. Aliás, as características desta praia conferem espaços reservados aos nudistas que queiram usufruir de uns banhos de sol e mar. Outra presença habitual é a dos surfistas, já que a praia tem boas ondas para a prática da modalidade.

Fotos

Mapa

Mais em Coimbra